Filtrar Mensagens:

 Mensagem da Mãe 

nº 51, publicada a 03 de Novembro de 2011

Queridos filhos,

É chegado o tempo do retorno do meu filho ao vosso meio, como predito por ele e estabelecido nos tempos.

Acolhei-o no vosso seio. Sabei que ele é a vossa salvação, através dele encontrareis refúgio e caminho para a vossa vida, auxiliando-vos nos tempos vindouros das dificuldades.

Eis estabelecida a nova aliança do Altissímo com os homens, para a derradeira oportunidade de todos vós. Confiai pois seu amor e justiça far-se-á sentir em todos os cantos da terra, ele é portador do Espirito Santo, e a verdade será finalmente revelada, porque é necessário trazer a luz do conhecimento ao mundo.

Assim como ele veio há 2000 anos no limiar das mudanças do homem, de novo ele retorna no final para o Dia do Senhor, preparando os seus caminhos, separando os escolhidos, julgando com amor, verdade e justiça, defendendo todos vós neste combate decisivo.

Sabei todos do seu regresso e permiti que o vosso coração sinta e veja e seja salvo por ele.

E a ti, Pátria Lusa, por mim escolhida em preparação destes tempos, saibam ser merecedores de tão grande condição, a morada do meu filho e terra da Santissima Trindade.

A vós caberá a missão de preparar o Mundo para o tempo do Espírito Santo.

Terra onde o Altissímo estabeleceu o seu amor em cumprimento dos tempos, tendo sempre permanecido fiel à Aliança estabelecida.

Entendei agora a entrega que Deus faz do seu filho novamente ao homem, para que este entenda que Deus sempre esteve presente junto de vós e agora nos tempos actuais mais do que nunca, pretendendo resgatar todos quantos o desejem.

Doravante prestai atenção no amor de Deus e suas graças derramadas pelo Mundo inteiro por intermédio de seu filho.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

Lourdes, França, 26 de Outubro de 2011

 Mensagem da Mãe 

nº 52, publicada a 03 de Dezembro de 2011

Queridos filhos,

Estais no limiar dos novos desafios para a humanidade. Desafios que jamais foram experenciados por qualquer um de vós.

Tenho alertado para tudo o que está prestes a acontecer há bastante tempo. Tenho sido diligente em vos fazer sentir que apesar de todos os momentos que vos aguardam, nunca devem perder a vossa orientação para o Altíssimo, prestando com verdade o vosso sim para com ele.

Ele é o maestro de todas as coisas e se muitos de vós hoje colocam em causa a sua existência e o poder de toda a criação, atentai para os tempos próximos, bem próximos, que vos aguarda.

Não querereis deixar de escutar a atenção que continuadamente e por todo o lado vos apelo.

Convertei-vos, guiai as vossas vidas nos mandamentos do meu amado filho Jesus, nada sois sem eles, são os mais básicos ensinamentos que vos conduzem até mim como vossa Mãe, eu que vos ampararei e vos guardarei sobre o meu manto de misericórdia e compaixão.

Tudo quanto vos peço e falo, não deve ser levado por medo, o meu amor é que sintam dentro de cada um de vós a necessidade de caminharem para a vossa casa celestial.

Senti que chegasteis todos a um impasse em vossas vidas e sociedades. Hoje esse sentimento está presente em cada um e colectivamente e estes são os sinais para a necessidade de mudança, de acolherem as palavras dos meus eleitos por toda a parte. O momento é o de preparação para todos, não fiqueis indiferentes aos meus apelos.

Pudésseis vós sentir a tristeza no meu coração pela vossa condução, são tantos os que se deixam enganar e muitos mais os que enganam os meus pobres filhos.

Abri o vosso coração e senti o chamado que vos faço.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

Vila do Conde, 02 de Dezembro de 2011

 Mensagem do Pai 

nº 53, publicada a 29 de Dezembro de 2011

Ouvi Terra inteira é o vosso Senhor que vos fala, por aquele que é o meu muito amado filho enviado à Terra para a vossa salvação, cumprindo com a minha promessa e vontade no estabelecimento da nova Arca da Aliança que volto a firmar com a Humanidade; para que todos os meus filhos sejam guiados e conduzidos por ele, nesta segunda vinda, nos tempos conturbados que agora iniciais a travessar e dos quais sempre vos alertei ao longo dos tempos.

Estais presentemente na celebração das festividades do nascimento do meu tão amado filho Jesus, que vos enviei numa época para vós já distante, portador da luz e amor ao mundo.

Nesse tempo fosteis insensíveis aos seus ensinamentos e o que hoje perdura de tudo, é já tão pouco e no todo nada genuíno.

Hoje resta pouco da sua passagem pelo mundo, porque se tudo se tivesse mantido inalterado e não fosse esquecido, vós estaríeis tão puros e generosos ao invés da esterilidade existente em cada coração que pulsa no vosso planeta.

Devido ao vosso afastamento de mim, vosso Pai e Criador, volto a enviar o meu filho oferecendo-vos o cordeiro, como oferta de paz e de amor que tenho por cada um de vós infinitamente, expressando desta forma a minha preocupação constante, que sois vós, fazendo-vos entender o quanto é necessário que retornem a mim, breve, dando significado ás vossas vidas, que sem rumo hoje estão.

Nesta época de aniversário que festejais, sabei que renasceu o vosso salvador e a sua missão é proteger-vos, guardar-vos e trazerem-me todos vós até mim.

Não podería deixar-vos nestes tempos de obscuridade que se foi tecendo à vossa volta por forças que em tudo vos enganou e que a maioría de vós facilmente cedeu ás suas premissas e rapidamente se lançaram em suas armadilhas, aprisionando-vos, tornando-se reféns e com tal condição sofrerem terríveis consequências na vossa vida terrena e na vossa alma.

Eis porque o vosso salvador está entre vós.

Peço-vos meus filhos, escutai as suas palavras, libertai-vos do entorpedecimento em que vos encontrais, caminhai na sua direcção procurando-o e deixais-vos conduzir.

Ala Shalon.

Vaticano, Roma , 27 de Dezembro de 2011

 Mensagem da Mãe 

nº 54, publicada a 04 de Janeiro de 2012

Queridos filhos,

Eis iniciado um novo ano em vossas vidas, cada dia transcorrido sabei que imensas alterações vos aguardam e todas elas irão acontecer e delas aproximai-vos com rapidez.

A minha missão pelo mundo está a findar. Em diversos locais que estou presente deixarei de estar porque o momento é o de concretização. Tudo quanto fiz até ao momento foi alertar-vos para a necessidade do homem se encontrar, encontrando-se a si, encontra a sua origem, aquele que tudo lhe deu e concedeu, O Altissímo.

Foi com ele que cumpri todos os seus desejos, resgatar-vos, alertar-vos, chamar-vos a mim para que o mundo ainda estivesse a tempo de inflectir na sua orientação, e tudo fosse evitado.

Apesar dos meus apelos incessantes e incansáveis, nada mudou em cada um de vós e na humanidade num todo.

Sabei que fui sempre eu que pedi ao Altíssimo a progorração dos tempos, para que permitisse a vossa conversão e com tal pedido iniciei junto dos meus eleitos o contacto, para que sentísseis a preocupação e o anseio da necessidade da vossa conversão.

Segurei o seu braço, sustendo-o, seu peso era imenso, mas maior dor era sentir a vossa total ausência daquilo que sois e daquilo que deveríeis se tornarem.

Como foi possivel que tão poucos me deram ouvidos e escutaram os meus pedidos?

O inimigo está infiltrado em todos os lugares de decisão no vosso mundo, todos vós estais neste momento à sua mercê e o combate que eu e o vosso Pai sempre quisemos evitar, já não é mais possível. Todos foram permiáveis ao fortalecimento e sustentação daquele que somente quer a vossa escravidão e destruição.

Eis chegados ao final, que ainda longo será para vós, final em que a incerteza será constante e total; final em que a dor será imensa; final em que os Eleitos de Deus sofrerão imenso, sendo os alvos principais daquele cujos planos de Deus tentará derrubar.

Sede fortes meu filhos, sede determinados, destemidos, investi em vós a armadura da coragem porque todos vós sois a centelha divina do amor, contrário do ódio que se gerará em torno de vós.

Ai de vós Igreja, que fosteis os frutos que contaminaram o cesto de todas as frutas.

De vós era esperado o cumprimento da lei do meu amado filho Jesus e dela foi usada para as vossas intrigas e conjuras, perdendo todo o sentido que nunca souberam conceder.

Reduzirei a minha presença a muitos poucos lugares, neste novo ciclo que começa, pois termina a minha chamada de todos vós e inicia-se o tempo para o triunfo do meu IMACULADO CORAÇÃO.

Nunca estarei longe de nenhum de vós e disso darei provas, permanecei fieis à vossa fé, buscai a esperança e refúgio no meu filho, pois no combate que se inicia, será ele o portador da vontade divina.

Amo-vos com o amor total de Mãe, que não percebeis, se o sentísseis, saberíeis quão avassalador é.

Rates, Póvoa de Varzim, 04 de Janeiro de 2012

 Mensagem da Mãe 

nº 55, publicada a 07 de Junho de 2012

Meus Filhos,

Esta é a vossa Mãe que vos fala, senhora soberana deste tempo.

Estou sempre convosco e em vós, sinto cada filho meu, suas preocupações, suas inquietações, suas perturbações, suas alegrias e suas felicidades como se fossem minhas. Porque vós sois meus, todos meus e eu amo-vos tanto, mas tanto que mesmo que quisessem não compreenderiam.

Quero e desejo sempre mais e melhor para todos. Eu e o Pai criamos um mundo cheio de oportunidades ricas em aprendizagens para evoluírem o vosso ser, enriquecendo assim o vosso espírito. Mas, o meu coração está coberto de dor por ver meus filhos a transformarem-se em algo que não são.

Ódio, inveja, ciúme, orgulho, preconceito, indiferença e muito, muitos mais sentimentos que vos corrompe a alma.

Não foi assim que foram gerados.

Não foi para isso que foram criados.

Peço-vos, apelo-vos que vejam em quê que se estão a tornar.

O meu amor está em todos vós, porque Eu faço parte de vós, no vosso seio, estou lá, mesmo na vossa essência, por isso eu vos sinto como a mim mesma, porque eu estou em vós e vós em mim.

Reparem em vossos actos, mudem a vossa consciência e caminhem na minha direcção, todos vós sem excepção. Porque eu amo a todos.

O vosso planeta está em mudança, e esta mudança irá fazer-se sentir em várias formas, catástrofes naturais, convulsões sociais e guerras, todas elas provocadas pelo ódio e ganância do Homem.

Por isso eu apelo a todos vós, escutai a minha voz dentro de cada um. Procurai a minha luz dentro de vós e deixai-vos ser acarinhados e aquecidos por mim que tanto se preocupa com o vosso estado e vos ama sem fim.

Escutai os meus emissários para este tempo, o tempo para o fim desta era do Homem, afim de se renovarem e convosco renovarem tudo quanto o Pai criou com amor para todos vós. Este é o tempo da mudança definitiva para todos.

Nós fizemos descer o nosso tão amado filho, coberto de nós que será a luz do mundo e para o mundo que tanto irá sofrer, não porque assim o decidimos, mas sim porque assim vós caminhaste para o ódio, indiferença a recusa do vosso ser em detrimento de tudo que vos parecia mais apetecível e passando por cima de tudo e de todos quanto foi criado pelo Pai.

Vós estais a destruir tudo, o vosso planeta, o vosso ser e tudo o que o completa.

O Pai não quer este desfecho, mas foram vós, com a vossa história que assim o criaram.

Mudai-vos a vós mesmo afim de mudar tudo.

Estou sempre convosco, mesmo nos tempos em que assim não vos parece, porque amo todos sem fim e sem excepção.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Pedro Dantas

Vila do Conde, 06 de Junho de 2012

 Mensagem do Pai 

nº 56, publicada a 27 de Junho de 2012

Meu filho,

O quanto é tudo belo da minha criação, apesar de vos manter a salvo dos males que vós fazeis ao mundo, para terdes a oportunidade de mudarem a trajectória do que os vossos actos e consequências os levariam, optasteis em nada mudarem, pior, tornasteis os vossos actos e consequências numa enorme hecatombe.

Eu como vosso Pai não posso permitir o vosso rumo que levais desta maneira.

Deixarei os meus filhos aprenderem com os actos que cometeram. Não mais porei as mãos nos actos que cometeis na ausência do vosso coração em mim. Cada um de vós tem um enorme poder dentro de si, pois se vos fiz à minha imagem e semelhança de mim, tendes capacidades e habilidades para além de que alguma vez podereis imaginar.

No entanto dispersais vosso talento, com futilidades e materialidade, que torna o vosso amor pelos outros em ódio, ganância, traição, vícios do dia a dia e destruição.

Destruís tudo o que vos rodeia sem dó nem piedade.

O inimigo regozija-se com todos estes actos e sentimentos, pois de vós extrai a vossa energia. Em vez de geráreis luz e repelirdes a escuridão, gerais limbo, matéria que o lado contrário serve-se para vos controlar a vossa energia que gerais e transformar a terra em calamidades para vos destruir no mundo terreno e vos aprisionar, fazendo-vos sofrer horrores até que mudeis a vossa essência na deles que é de provocar dor e caos aonde impera paz e felicidade.

Acordem meus filhos, não é tarde para voltarem a vosso Pai e pedirem perdão, arrependerem-se de coração e estendei a mão ao outro vosso irmão, porque assim como estendeis a mão ao próximo eu também vos estendo a minha e vos amparo.

Ala Shalon

RECEBIDA: Arthur Ferreira

Porto, 27 de Junho de 2012

 Mensagem da Mãe  

nº 57, publicada a 04 de Julho de 2012

Meus filhos,

O plano do Pai está em marcha para deter aquele que vos deseja aprisionar e que vós não estais a distinguir na plenitude.

Os mensageiros da Sua casa já estão no vosso meio, despertados aos olhos do vosso coração.

São eles que irão levar a palavra do Pai, o amor do Pai para junto dos vossos corações. Abram os vossos sentimentos e vereis a maravilha naquele que carrega a aliança, aquele que é a aliança, do Pai para Vós, recebei-o em amor.

Estes são tempos conturbados para todos os meus filhos, e apenas estais no início, mas em vosso coração reside a chama que é a chave para todo o mal, aí, no vosso coração encontrais o Pai dentro de cada um de vós, pois ele nunca vos abandonou, o Pai nunca abandona seus filhos, mesmo aquele que neste momento está de costas viradas para Ele, Ele está em todos, sem excepção.

O Pai vos criou de si mesmo, vós sois parte do Pai. Sintam o seu amor, devotem seus sentimentos nobres a Ele e a todos e tudo que ele criou. Sejam humildes de coração e tudo o resto virá com a maior nobreza de espírito.

Não percorram o caminho daquele que vos quer mal, despertem vosso interior para o apelo que faço dentro de cada um de vós, de cada um de vós.

Eu vos amo e devoto por inteiro, porque sois meus filhos, amor do meu amor.

Abram vossos corações.

Não desanimem perante o que vos irá acontecer, pois é aquele que vos quer mal que tudo fará para que todos vós se percam dentro de cada um, mas não desespereis, a luz do mundo já se encontra presente e tudo irá iluminar e vossos corações aquecer neste frio da noite que cobriu.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Pedro Dantas

Sameiro, Braga, 28 de Junho de 2012

 Mensagem da Mãe 

nº 58, publicada a 02 de Outubro de 2012

Meus Filhos,

Recebi-vos a todos com a alegria e amor do meu coração.

Fiquei e estou feliz pelo trabalho que realizaram em vosso ser, no vosso verdadeiro ser, a vossa essência, este que se aproximou de que é verdadeiramente e do que terá efectivamente ser.

Amo-vos tanto, sois parte de mim e ficaram com ainda mais no decurso e após a partida. Aguardo agora que espalhais essa partícula e começais a semear o mundo que já se tornou ermo e desprovido da vida que é amor.

Sois parte integrante do que pretendo para este mundo e para todos os meus filhos, carregais também a vontade e responsabilidade do retorno e da reposição da ordem onde ate agora existiu e existe o caos.

Eu vos abençoei, vos limpei, vos acarinhei, vos amparei, vos guiei com todo o meu amor que ainda não é compreendido, porque por vós e para vós eu sofro e vivo, eu amo e luto, sem fim e sem igual, por todos.

As sementes que depositei, que carregais não é para vós, mas sim para os vossos, e todos os meus filhos são vossos, os vossos irmãos, na verdadeira família que vou gerou.

Senti dentro de vós a minha presença, senti dentro de vós a minha tristeza, e que isso vos faça sentir em vós a necessidade urgente das minhas palavras a fim de serem transformadas em actos verdadeiros, da mesma verdade de que sois e pertenceis.

O Pai espera e aguarda que todos seus filhos ouçam e sintam os seus apelos.

Amo-vos e agradeço com a alegria do meu coração a felicidade de vos ter recebido.

Ide e espalhai, Ide e reparti, Ide e dai-vos.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Pedro Dantas

Regresso de Lourdes, Espanha, 23 de Agosto de 2012

 Mensagem da Mãe 

nº 59, publicada a 15 de Outubro de 2012

Queridos filhos,

Lembrai-vos do que foi dito em tempos.

O senhor Deus Pai colocou-vos neste mundo para serdes felizes, prosperar e progredir nas novas etapas que vos esperam. Todos com um futuro promissor mas no entanto resolvesteis ficar pelo caminho a contemplar engodo, coisas supérfluas, que não vos traz mais do que desalento, sofrimento por não chegardes a lado nenhum, com a vossa estagnação até mesmo o vosso retrocesso.

Permitistes serdes enganados pelo lado contrário, fosteis coniventes e conscientes nos actos que sabieis que estáveis a cometer de errado e continuasteis a alinhar com o vosso inimigo que vos quer destruir, que vos quer aprisionar como sua propriedade e controlar ao seu belo prazer.

Se não gostais de ser maltratados, lubridiados e destruídos na vossa essência que é de amor, porquê que o fazeis com vossos irmãos, com vossos semelhantes?

Como deixais serdes subjugados por influências bárbaras de atentáreis até contra a vossa própria vida?

Meus filhos, lembrai-vos de que a vossa existência na terra são milionésimos de segundos na vossa verdadeira vida que é formada de Espírito Santo, de energia viva, de luz proveniente do vosso Pai, o Deus verdadeiro, do vosso mundo, que vós chamais Terra.

Um Pai e uma Mãe sempre querem o melhor para cada um dos seus filhos, se não o forem, é porque são pais negligentes e desprovidos do amor, que cada filho deve ser merecedor, de igual forma e de igual condição.

Pois todos os filhos, deste vosso Pai, parte do mesmo ponto de partida até ao mesmo ponto de chegada, sem que nenhuma intempérie seja resolvida injustamente.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Arthur Ferreira

Porto, 14 de Outubro de 2012

 Mensagem da Mãe 

nº 60, publicada a 22 de Outubro de 2012

Querida filha,

Canal és para que fiquem escritas as palavras que quero que sejam ouvidas.

Houve tempos, não tão longínquos do presente, em que os corações estavam mais preparados e dispostos a receber.

Aí, através de muitos dos vossos Irmãos, transmiti a Palavra e os ensinamentos que devíeis aprender e com os quais deveríeis corrigir o vosso trajecto.

Deixei que me vissem e, muitas vezes, visitei locais repetidamente para que a mensagem fosse aceite, compreendida e espalhada pelo mundo.

Nunca pedi grandiosidade de espaço ou edifícios, sempre pedi foi que os vossos corações e vós como Filhos que sois vos tornásseis dignos e grandiosos aos olhos do vosso Pai.

Tudo isto fiz e por vós intercedi incansavelmente para que não tivésseis que sofrer os cataclismos que, por não crerdes ouvir, por vós foram criados.

O meu coração está ferido, dói-me tanto ver como estais, como sentis, o rumo que tomais e a falta de caridade que tendes com os vossos Irmãos.

Como queria proteger-vos e afagar os vossos rostos para que pudesse assim amenizar o vosso sofrimento. Mas já não me cabe a mim ajudar-vos a mudar.

Chegou o tempo de serdes vós a alterar as vossas atitudes e comportamentos.

O meu Amor por vós é tanto que quando vos vejo cair, não conseguis sequer imaginar a dor que em mim se instala e quão difícil é para mim não vos poder amparar a queda.

Meus Amados Filhos, lutai pela verdadeira mudança para que assim seja menos errónea a travessia na Vida que é neste tempo vossa

Amo-vos incondicionalmente.

RECEBIDA: Rita Alves

Ponte de Lima, 21 de Outubro de 2012