Filtrar Mensagens:

 Mensagem do Pai 

nº 61, publicada a 30 de Dezembro de 2012

Meus filhos,

Não foi este o rumo que eu escolhi para a vossa Humanidade. Não foram estes os tempos que criei com Amor. Tudo o que sempre vos dei foi Paz, criação, felicidade, vida, evolução, ser, plenitude, expansão… Mas dei-vos limites, porque vos dei consciência, porque vos dei valores, porque vos ensinei que há bom e há mau, há noite e há dia, que há Luz e há escuridão, que tudo, tudo nesse planeta se compõe de opostos e deveríeis saber que se há criação também há destruição, e em vós residia a chave para o equilíbrio entre os dois extremos.

Porque essa terra é vossa, é domínio de meu Reino e nela só entraria quem assim o permitisse, por seus actos, suas escolhas, suas vontades.

Perdesteis-vos no meio, entre e dentro de vós.

Perdesteis a “audição”, perdesteis a “visão” e não mais reconhecesteis vosso Pai.

Tornasteis-vos inertes aos meus chamamentos, às minhas palavras e aos meus apelos. E eu contornei tantas e tantas situações…e vossa Mãe…o Amor que vos toma…segurou minha mão antes mesmo que a vontade me valesse.

Porque dói a um Pai ver seu filho já perdido, perder-se.

Quisesteis conquistar o Mundo e assim vos entrego o Mundo e com ele todos os meus filhos enviados e minha nova oferenda… a Justiça…por meio de meu Filho Irmão de Jesus, Ricardo.

Num tempo louco e vazio de vós mesmos Ele será o prossecussor de minha espada e todos os seus serão com Ele a minha Luz.

Eis a vossa salvação, a minha última oferenda.

Procurai-o e por Ele vos deixeis tocar, e transformai-vos para que sejais de novo recebidos em Casa.

Meus filhos,

Eis que são chegados os tempos já escritos. E desta geração não passarão sem que vejam o que antes ninguém viu.

RECEBIDA: Marta Fiúza

Refoios - Ponte de Lima, 22 de Dezembro de 2012

 Mensagem da Mãe 

nº 62, publicada a 02 de Janeiro de 2013

Meus tão Amados filhos,

Recebidos todos vós no meu amparo de Mãe. Estais todos vós, sem excepção no meu coração, nos meus desejos e pedidos para que tudo em vós se altere e mude.

Para que a solidão dê lugar à companhia.

Para que o rancor dê lugar â compaixão.

Para que a raiva dê lugar à calma.

Para que o desespero dê lugar à serenidade.

Para que a revolta dê lugar à tranquilidade.

Para que o ódio dê lugar ao Amor.

Para que desta forma, vós meus tão amados filhos, transformem a vossa indiferença de uns para com os outros no verdadeiro altruísmo de entrega.

Uma vez mais, peço a meu filho Jesus, que leve Amor e o Amor a todos vós.

Pedi-lhe outraora, quando ainda tal como vós pisava a Terra, peço novamente para vos ensine e semeie, uma vez mais sua lição, sublime missão, no coração de todos os meus filhos.

Senti-o dentro de vós.

Senti o que Ele é, carrega e vos entrega.

Estai dispostos a receber.

Abri vossos corações.

Para que neste tempo, o tempo do seu Irmão, Ele vos possa recolher e abrigar sobre a sua espada e nosso estandarte. Proteger-vos sobre a sua Paz que dele brota e em vós deposita. Como pólen de uma flor.

Ficai sabendo que essa mesma Paz e serenidade de espirito brota do Pai em si.

Recebei-o.

Acolhei-o.

Abraçai-o.

Protegei-o.

Procurai-o com o vosso coração e vereis as maravilhas da simplicidade contidas nele.

Abri o vosso coração e reconhecereis-lo.

Amem e façam Amar.

Sejam Amor.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Pedro Dantas

Braga, 26 de Dezembro de 2012

 Mensagem da Mãe 

nº 63, publicada a 07 de Janeiro de 2013

Meus filhos,

Esta é a consolação do fim dos tempos.

A estrela guia virá do Ocidente.

Derramar-se-á o sangue e as lágrimas por todos os Homens. Cairão sobre a Terra as catástrofes jamais pensadas, mas eu estarei amparando-vos, cuidando-vos e aguardando-vos.

A vossa Terra minha Terra, está doente.

Contaminada pela maldade que vos assola e vos toma.

Não vos deixeis, meus filhos, levar pela podridão do ser, porque os Meus filhos, deles brota o fresco perfume que os identificam de entre todos os demais.

Segui a sua brisa, o seu odor, a frescura do seu ser, e vereis que sereis levados à vossa eterna Moradia.

Como vossa Mãe, vos digo e vos apelo do Alto dos Céus, de onde sou Rainha Protectora:

Vinde a Mim meus filhos, vinde a vosso Pai, segui o vosso Irmão e em breve chegareis salvos a Casa.

Aqui vos aguardaremos em Amor.

De braços abertos e olhos postos na Humanidade por vós peço e a vós vos peço…ouvi vosso Irmão.

Amo-vos meus filhos sem condição alguma, com meu coração eterno de Mãe que vos cuida

RECEBIDA: Marta Fiuza

Ponte de Lima, 01 de Janeiro de 2013

 Mensagem do Pai 

nº 64, publicada a 13 de Janeiro de 2013

Meus filhos,

Eis que vos tomo em meus braços e em verdade vos digo que ninguém passará sem conhecer o nome de meu filho.

Todos serão conhecedores da Luz do Mundo e a quem ele renunciar lhe será negada a vida Eterna.

Quem não reconhece seu Irmão, não reconhece seu Pai.

Quem não reconhece seu Pai, não reconhece sua Casa.

Ao Reino dos Céus voltará, o que a ele quiser em verdade regressar.

Eu vos ofereço meu filho, uma vez mais, para que agora não duvideis, não tendes como duvidar depois de tudo o que conheceis da História que há hoje um Messias entre vós que vos dei para vos trazer de novo a Mim.

Sede com Ele hoje e sempre.

E sereis comigo pela eternidade.

Amo-vos meus filhos, eternamente.

RECEBIDA: Marta Fiúza

Ponte de Lima, 01 de Janeiro de 2013

 Mensagem da Mãe 

nº 65, publicada a 18 de Janeiro de 2013

Meus Queridos Filhos,

Assim com a verdade de meu coração eu vos digo, mostro e mostrei a Estrela que vos irá guiar neste momento de aflição que somente começou para todos vós.

E com o Amor de meu coração peço a todos que se deixem guiar pela estrela que vos apresentei e o Pai vos presenteou uma vez mais com o seu filho, a nova entrega da Aliança estabelecida entre Ele, vosso Pai e, vós seus filhos.

Uma vez mais, irmão de Jesus o Mestre do Amor, o Pai envia seu cordeiro, Ricardo o Mestre da Justiça.

Para que este possa guardar-vos e proteger-vos sobre as intempéries que ainda só pouco sentis.

Este é o momento, o tempo profetizado pelos profetas do Pai. Este é o tempo do vosso tão esperado retorno a casa, à vossa verdadeira moradia.

Ireis viver tempos conturbados, mas agarrai-vos ao que verdadeiramente sois, filhos do vosso Pai, centelha viva e apesar de tudo perderem, não vos percam a vocês mesmos.

Somente sobre o olhar de verdade, o sentir do Amor é que conseguireis ver e sentir o meu filho e aqueles que eu enviei para estarem a seu lado. Vereis as maravilhas, imensas e variadas.

Acreditai.

Em vós meus filhos, deposito as minhas sementes para mais tarde serem colhidas. Sede solo fértil para que as possais fazer florir dentro de vós.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Pedro Dantas

Sameiro, Braga, 03 de Janeiro de 2013

 Mensagem da Mãe 

nº 66, publicada a 22 de Janeiro de 2013

Queridos filhos,

Sou a vossa Mãe, Rainha Dolorosa, por tudo quanto presencio em cada um de vós.

Sabei que nunca estais sós, cada um de vós jamais está só, acompanho-vos mesmo quando a mim não recorreis nas vossas dificuldades e no dia transcorrido, um após o outro. Ajudo cada um na proporção do que me permitem, porque tudo quanto se passa são fruto das vossas escolhas em cada um de vós e na conexão que fazeis com os outros.

Deveras complicais vossa vida e cada dia para vós acarreta maior peso por tudo o que fazeis.

Triste fico a ver tudo quanto passais e mais triste fico sabendo que os vossos fardos são alimentados por cada um . Sería tudo mais fácil se abandonásseis as vossas acções e obras menos boas que vos enredam numa teia complexa em que o que dais e recebeis é somente sofrimento.

Alerto-vos continuamente para que mudem, para que sejam e pratiquem os ensinamentos do meu filho Jesus. Bastaría somente aplicarem os mais simples ensinamentos que ele vos ensinou e deixou, para que tudo fosse efectivamente diferente.

Contudo, passa um dia após o outro e são cada vez mais aqueles que retribuem o que recebem de menos bom em igual modo, engrossando desta forma o vosso sofrer colectivo.

Apelo continuamente em todos os continentes, por mais do que um lugar e mensageiros e mesmo assim nada muda para melhor,

Soubesseis o quanto o meu coração é trespassado de dor por ver que tudo em vós é capaz de alterar e desta forma serem felizes, ao invés da sombra instalar-se no vosso coração e fazer-vos sofrer para além do que é e que nunca devería ser.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Ricardo Fins

Lourdes, França, 13 de Janeiro de 2013

 Mensagem do Pai 

nº 67, publicada a 27 de Janeiro de 2013

Ouvi terra inteira é o vosso Senhor que vos fala por aquele que é a minha voz, olhar e vontade.

Nas vossas maiores inquietações eu sempre estive presente, susti tudo quanto a irracionalidade do homem atentou porque se assim não fosse já o vosso mundo não existiría.

Partilhei de igual forma os vossos momentos felizes e com eles me regozigei. Em tudo sempre estive presente, nunca fosteis esquecidos por mim, tudo vos provi durante todo este tempo para que pudesseis encontrar as melhores escolhas para a vossa felicidade.

Porém verifiquei que apesar de estar sempre em vós, vós não estáveis comigo em igual forma.

Chamei-vos e não fui escutado;

Pedi-vos e não me atendesteis;

Perdoei e tolerei e fui por vós julgado;

Concedi-vos tudo para crescerem e tornaram-se menores;

Provi-vos de alimento e açambarquais deixando inúmeros morrerem à fome;

Dei-vos a conhecer a paz e somente fomentaram a guerra;

Criei-vos e vós destrui-vos;

Dei-vos leis e vós não as cumprem;

Espalhei o Amor e sobrepusesteis o ódio e intolerância;

Criei igualdade e vós semeasteis a confusão;

Dei harmonia e entregasteis conflitos e instabilidade;

Derramei bençãos e graças e não levaram em consideração;

Alimentei cada um de vós e estais famintos;

Vesti-vos e apresentais-me perante mim nús;

Construí um Mundo belo e dotado de tudo para que fosse partilhado. Hoje é objecto de disputa por alguns;

Criei um Mundo abundante e está deserto;

Criei um Mundo completo e está vazio;

Criei um Mundo cheio de vida e está morto.

Eis pois que chego.

Eis pois que me manifestarei e questionarei cada um de vós, sobre o que tendes de contar e prestar em tudo quanto deviéis ser zelosos e assim não foram.

Atentai, pois quanto menos esperarem estarei em vós no vosso meio, questionarei o que não gostam que questione e colocarei todos vós a nú perante todos aqueles a quem parecesteis bem vestidos.

Eis chegado o tempo em que tudo será renovado e tudo reposto.

Ala Shalon

RECEBIDA: Ricardo Fins

Lourdes, França, 14 de Janeiro de 2013

 Mensagem da Mãe 

nº 68, publicada a 30 de Abril de 2013

Meus amados filhos,

Do meu coração doloroso de Mãe que carrega e suporta a dor dilacerante por ver o mundo, todos os meus filhos como estão e o caminho errante que constantemente firmam os seus passos, escolhas e atitudes, venho até vós com uma prece, um apelo de amor.

Invertam os vossos caminhos, alterem as vossas atitudes. Como podeis vós permanecer errantes, não vedes o caminho que percorreis?, o que constantemente fazeis e retribuis uns aos outros?. Não vedes o abismo, o terrível desfiladeiro por onde caminhais?, não vedes que se estais neste momento nesta condição é porque as acções que vos trouxeram até aqui não podem estar correctas nem com o devido intuito a paz, o amor e o crescimento humano bem como espiritual?

No entanto dentro de vós achais-vos cheios de razão e poder apesar de viveres na imundice, no desastre do outro, na ilusão que tudo tendes e nada vos pertence.

Acordai, abri os vossos olhos para tudo o que se passa à vossa volta. Os sinais são claros e evidentes que a vossa sociedade, individuo e órgãos estão no declínio e colapso total.

Só um coração forte e perseverante é que consegue mudar e alterar o seu destino. Só um coração que se volta para o seu Pai consegue reconhecer novamente a verdade, o amor, as mãos portadoras da sua vontade, da sua presença, da sua obra.

Não vireis as costas, não ouseis fazer ouvidos moucos àquele que é portador da vontade do seu Pai.

A sua palavra é como um raio que ilumina o céu inteiro pois ela escreve e transcreve por onde passa a verdade, amor e justiça.

E como um trovão que caiu dos céus fica gravado por seu nome a justiça de seu Pai.

Não há outro tempo como este de pleno e completo reestruturamento do vosso mundo, dos vossos ideais e valores, do vosso comportamento enquanto seres humanos e seres espirituais que sois, filhos de Deus Pai Todo Poderoso.

Nunca outrora no vosso mundo se viu tamanhas calamidades mas também gloriosas intervenções do vosso Pai para que chame à razão aqueles que não acreditam sem verem, não sentem sem tocarem pois mesmo esses a oportunidade existirá para que da mesma não se desculpem.

Felizes daqueles que acreditam sem verem, que sentem sem nada tocarem ou possuírem pois tereis que conduzir os vossos irmãos e todos os filhos para a glória da salvação.

Amo-vos meus filhos, sem igual ou excepção pois sempre presente e ao vosso lado eu vos acompanho, consolo, amparo e fortaleço em todos os momentos da vossas existência.

RECEBIDA: Iris Gonçalves

Braga, 06 de Fevereiro de 2013

 Mensagem da Mãe 

nº 69, publicada a 30 de Abril de 2013

Queridos filhos,

Abri a porta do vosso coração ao vosso Pai, pois ele chama incessantemente por vós, por cada um de vós, para que possais ser resgatados neste tempo final, o tempo do Triunfo do meu Imaculado Coração.

Ainda estais a tempo, mas o tempo não é abundante e imensos são os obstáculos que existem à vossa espera criando perigos sem fim à jornada que ainda tereis de percorrer.

Deus na sua infinita misericórdia veio em auxílio dos seus filhos, para que nos tempos que se encerram todos possam ser salvos. O seu amor por cada um de vós é incalculável e a perda que devotais na vossa vida levando à vossa perda é motivo das maiores tristezas e dores no seu coração.

Permiti pois que sejam resgatados e nos momentos mais necessários recorrei a ele, olhai para o alto e pedi sua ajuda, força e coragem para os momentos que vos aguardam.

Sabei que tudo quanto foi avisado no passado concretizar-se-á e os momentos actuais que viveis é o seu inicio.

Longos ainda serão os dias e maiores as noites que vos aguardam mas confiai no Altíssimo vosso Pai, pois tudo providencia para que sejais acompanhados e guiados pelo o seu amor e sereis somente vós que tomareis a decisão em aceitardes o seu apelo e ajuda.

Filhinhos,

Está em vossas mãos o caminho de regresso ao vosso lar, deixai o supérfulo que existe nas vidas actuais e que somente servem para vos tornar cativos nas celas que já vos aprisionam, libertai o amor verdadeiro e altruísta em cada um de vós e vereis maravilhas.

Auxiliem-se pois este é o tempo.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Ricardo Fins

Sameiro, Braga, 17 de Abril de 2013

 Mensagem da Mãe 

nº 70, publicada a 03 de Maio de 2013

Queridos filhos,

Continuais a persistir em não ouvirdes e acolherdes os meus apelos em todo o Mundo.

O meu objectivo é resgatar-vos para que não percais por completo a vossa vida, entregando-a aos vossos inimigos que continuam a iludir-vos com todas as coisas do mundo e sobre as quais valor algum têm, contudo, perdidos e ofuscados estais que já vos tornásteis insensiveis à realidade, a realidade que é e que está em vós.

Acordai da letargia imensa que estais mergulhados e escutai a minha vóz e a vóz de todos aqueles que andam pelo o mundo chamando-vos à compreensão e reflexão para que possais sentir novamente o chamado constante para retornardes à vossa casa.

Por cada acto e ou vontade minha o inimigo coloca-vos sobre imensas coisas deslumbrantes fazendo com que percais a atenção que deveríeis prestar.

O vosso jugo, aquele que sobre vós está, incapacita-vos de sentir e olhar em torno de vós vendo a realidade, dos vossos dias, impede-vos de perceberem que os alicerces balançam e tudo começa a desmoronar, fazendo tudo perigrar e não vos dais conta.

Silência o sentir pelo o vosso irmão que sofre e de vós necessita, arrancando o sentimento subjacente a essa condição.

Despertai, acordai, porque o tempo que transcorre sem que o façam remete-vos a um limbo cada vez maior e mais definitivo em que a vossa vontade não será suficiente no determinado momento em vos libertardes.

Muito vos aguarda, prestai atenção ao que se passa no vosso mundo, os sinais estão todos reunidos e longo será o vosso caminho com imensos tropeços, dificuldades, dor e angústia.

Tudo isto sería evitado se cumprissem com tudo quanto vos pedi desde sempre.

Mas, nem tudo está ainda perdido, ouvi os meus apelos e de todos aqueles que o vosso Pai colocou no vosso mundo para vos guiarem e ajudarem neste tempo.

Amo-vos meus filhos e em mim repousam os vossos corações, mesmo quando a vossa entrega não é sincera, assim percebeis que eu aceito todos os meus filhos por igual sem excepções.

RECEBIDA: Ricardo Fins

Sameiro, Braga, 02 de Maio de 2013